Subscribe:

11 de mar de 2012

Comentário do Filme: A Invenção de Hugo Cabret

  Como eu havia dito eu iria resenhar o filme A Invenção de Hugo Cabret, mas como o filme segue a história do livro quase que perfeitamente. Claro que tiraram e colocaram algumas cenas, mas já era esperado. Foi tão bom quanto o livro, tão magico quanto o livro. E só pra não esquecer ele ganhou o Oscar 2012 com Melhor Direção de Arte, Direção de Fotografia, Edição de Som, Mixagem de Som e Efeitos Visuais. CINCO OSCAR'S TÁ BEM, EM?
 Então para que este post não fique massante, vou comentar algumas das minhas cenas favoritas, cinco na verdade. 





 É tão triste quando ele começa a lembrar do pai, que a única coisa que ele lhe deixou foi esse autônomo e a mensagem secreta que ele só vai descobrir quando concertar o "brinquedo"






 Ele trabalhando com o senhor George, quando o senhor começa a lhe ensinar truques de mágica. A parte em que o tio George vê o caderninho de Hugo é quando ele 
percebe que o passado dele ta voltando, e ele não tem como impedir.






 Eles no cinema, como quando Hugo ia com seu pai, vendo sonhos de alguém numa tela. A magia que existe nos filmes. As expressões de felicidade no rosto das crianças.








 Quando ele a salva da multidão, e vê a chave no pescoço dela, acontece de uma forma tão inesperada que faz com que a gente demore a juntar os pontos soltos da história





 O momento mais esperado por todos que assistiam o filme, a máquina começa a funcionar, qual será a mensagem que o pai de Hugo deixou? Foi mesmo uma mensagem de seu pai? Na minha opinião foi, não proposital, mas se não fosse por esta máquina talvez Hugo fosse parar num orfanato.



 Eu senti falta de alguns detalhes, mas todo mundo que leu o livro e depois viu o filme, acaba percebendo, mas nada que mude ou deixe um vácuo na história, são só detalhes. Foi muito bom, mereceu todos os Oscars que ganhou.

0 comentários:

Postar um comentário